#056 – 25.02.2012# Quiero Que Me Habiten

As ruínas vem todas ter comigo. Quiçá também eu estou em ruína e ainda não dei conta.
Numa das “calles” de Tuy deparo com esta velha casa abandonada.
O aspeto despertou-me os sentidos mas o que realmente me prendeu foi a porta.
Quatro simples palavras que soltam a escrita e o pensamento. Quem quer ser habitado? O coração do autor, a casa, ambos? Ambos é a minha resposta.
Abrimos o coração para que alguém o alugue. Com o aluguer reconstruímos a casa. Ganhamos vida e alegria. Ambos ficam habitados.
Um dia o locatário cancela o contrato, encontrou outra casa, decidiu mudar as trouxas. A casa volta a decair. O coração perde vida e alegria. Ambos ficam desabitados.
Volta a procura dum novo ocupante, publicitar a solidão com um slogan interessante.
Nada melhor que um singelo coração na porta … “quiero que me habiten“.

2 Comments Add yours

  1. Anonymous says:

    Muito, mas muito bonita…! Dir-se-á: Habitar as ruinas ou o coração??? Gosto muito.

    1. rossanaf says:

      Que dizes? Qual está só, qual está habitado?
      Obrigada, beijinho

Deixe um comentário:

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s